Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Acessos:
Incio do contedo da pgina
Últimas notícias

Museu da Escola de Minas reúne acervo com mais de 30 mil peças

  • Publicado: Terça, 30 de Junho de 2015, 14h34
  • Acessos: 1905

Edione Abreu

 

Em um palácio construído no início do século XVIII, no centro histórico de Ouro Preto, o Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas (MCT-EM) da UFOP abriga um valioso acervo composto por mais de 30 mil peças. Entre as preciosidades estão amostras mineralógicas, de metalurgia, paleontologia, maquetes didáticas, aparelhos de topografia e equipamentos para estudos e observação astronômica.

 

Inaugurado em 1995, o MCT-EM é dividido em setores temáticos: história natural, astronomia, física, obras raras, cantaria, loja, capela imperial e exposições de longa duração e curta temporada. No local também são realizadas aulas práticas dos cursos de Engenharia, Ciências Biológicas e Museologia da UFOP. É aberto para visitação de grupos de escolas públicas e privadas e da comunidade em geral.

 

“O Museu abrange tanto a parte acadêmica dentro da Universidade, por proporcionar aos alunos de graduação desenvolvimento de atividades acadêmicas extensionistas, como também a instituição pode desempenhar um papel efetivo na parte de atendimento à população de modo geral”, destaca a diretora do MCT-EM, professora Maria Paula Delicio. Para ela, este é um momento importante, pois assim o público tem acesso à história da Escola de Minas.

 

Atividades do Encontro Mineiro de Paleontologia - 2014. (foto reprodução)

 

A diretora acredita que a história da EM mostra o progresso tecnológico do Brasil. Este desenvolvimento pode ser visto nas áreas de hidrelétricas, estradas, siderurgias e ferrovias. “Muitas das pessoas que implantaram isso no país são ex-alunos da Escola de Minas”, frisa.  

 

Ações

A professora Maria Paula explica que ao longo do ano o MCT-EM realiza algumas ações que visam a promover a aproximação do público com o museu e ainda a manutenção das peças e espaços. As atividades são organizadas durante a semana e em datas especiais, como Semana Nacional de Museus, Primavera de Museus e na Semana de Ciência e Tecnologia. Anualmente, cerca de 600 escolas do ensino fundamental e médio visitam o local. Em 2014, foram 80 mil visitantes.  

 

Algumas das oficinas oferecidas durante as atividade são: taxidermia (técnica de reprodução de animais para exibição ou estudo); oficina de pigmentos; paleontologia; malacologia (estudo das conchas); astronomia e pintura facial étnica. E ainda o happing mineralógico, ação educativa em que os visitantes têm contato com propriedades peculiares de alguns minerais como densidade, magnetismo, cor e aplicações.

 

Visitantes contam com programação interativa. (foto reprodução)

 

Há dois anos, dois alunos do curso de Geologia estão catalogando, no setor de mineralogia, quais e quantos exemplares de minerais compõem o acervo. As informações são salvas em um banco de dados digital. O levantamento já resultou em um artigo sobre os doadores dos objetos para o acervo do MCT-EM. "Isso é importante para a pesquisa e para saber qual o tamanho da riqueza que temos em mãos", salienta Maria Paula. De acordo com ela, a partir do trabalho de catalogação surgiu a ideia da realização de algumas pesquisas. Uma delas é um projeto de um trabalho de geoquímica em todas as amostras de minério de ferro do acervo, para identificar se existem assinaturas geológicas diferentes nesses depósitos. Há também a análise das amostras de topázio imperial. Os dados, alimentados com fotos, informações de onde os objetos foram coletados, quem foi o doador, vão estar disponíveis para consultas de pesquisadores do mundo inteiro.

 

Maria Paula lembra ainda que durante o trabalho de catalogação foram encontrados minerais que não tinham procedência. O material foi analisado por professores do Departamento de Geologia da UFOP (DEGEO) e os mais interessantes foram levados para o Departamento. Outras peças foram enviadas aos núcleos e projetos de educação à distância que a Universidade mantém. Outra parte está sendo doada para instituições, públicas e particulares, como parte de material didático. “Este trabalho é importante, pois nos últimos anos abriram muitas escolas de Geociência no Brasil e nem todas têm o acervo de material didático adequado”, observa Maria Paula.

 

                     

Uma das mais de 30 espécies de turmalina. (foto reprodução)

Trilobita, primitivo artrópode marinho considerado um dos principais fósseis índex da Era Paleozoica. (foto reprodução).

 

Restauros e intervenções

Também são realizados trabalhos em parcerias com alguns departamentos da UFOP, como o Departamento de Artes (DEART), por meio do professor Davi de Oliveira, que desenvolve atividades de intervenções cênicas dentro de alguns setores do museu durante as visitas. Outra interação que o publico pode ter é trazida pela personagem JUJU, interpretada pela aluna do DEART, Marta Vieira.

 

Restauração da Galeria de Fotos

Com o objetivo de valorizar a memória dos egressos da EM, desde março deste ano a galeria de fotos dos ex-alunos está em processo de restauro. Estão sendo reformados 49 quadros – desde o início da EM, em 1876, até a formação da UFOP, em 1969 – que serão entregues por ocasião do aniversário da Escola de Minas, durante a Festa do 12, em outubro. O projeto tem o apoio da Fundação Gorceix.

 

Serviços

Na loja do MCT-EM é possível encontrar artigos relacionados aos assuntos retratados no museu, como livros e alguns minerais. Pessoas da comunidade (não necessariamente ligadas à UFOP) podem propor exposições temporárias. Também são aceitas doações de materiais relacionados aos objetos do museu e propostas de trabalhos voluntários.

 

Horário de visitação:

Setores de Mineralogia, História Natural, Mineração, Metalurgia, Física/Ciência Interativa e Química: de terça-feira a domingo, de 12 a 17h.

 

Observatório Astronômico: aos sábados, de 20 a 22h.

Programação sujeita a mudanças em feriados prolongados.

Escolas e grupos podem agendar visitas em horários e dias a combinar, com acompanhamento dos bolsistas do MCT-EM.

Mais informações pelo telefone 3559-3118, site www.museu.em.ufop.br ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

registrado em:
Fim do contedo da pgina