Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Acessos:
Incio do contedo da pgina
Últimas notícias

Empresa Júnior de Engenharia de Produção desenvolve projeto na Fábrica Pérola

  • Publicado: Terça, 15 de Março de 2016, 10h46
  • Última atualização em Quarta, 16 de Março de 2016, 13h24

Danielle Campez

A Projet, Empresa Júnior de Engenharia de Produção, em parceria com a Fundação Sorria, realiza projetos para a Fábrica Pérola Ouro Preto.

A Fundação Sorria, criada em 1989 pelo dentista Aluísio Fortes de Drummond, promove atendimento odontológico gratuito para crianças e adolescentes de baixa condição socioeconômica em Ouro Preto. Como a demanda é grande, para atender a tantas pessoas gratuitamente e com qualidade, a Fundação conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Ouro Preto, de empresas privadas e de outras instituições da região. A comunidade também contribui com carnês de valores a partir de R$ 10,00 mensais. As ações da Fundação Sorria conseguiram a adesão de artistas plásticos e músicos, que disponibilizam seus talentos para levantar recursos para instituição.

O projeto de sustentabilidade da Fundação Sorria levou à criação da Fábrica de Sabonetes Finos Ouro Preto e da marca Pérola Ouro Preto. Os produtos foram desenvolvidos com o apoio da Escola de Farmácia da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e seguem as rígidas normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Um dos apoiadores da instituição é a Projet, Empresa Júnior de Engenharia de Produção da Escola de Minas, por meio de dois projetos. O primeiro visa a ampliar a comercialização dos produtos Pérola Ouro Preto no mercado e o segundo contempla a implantação de melhorias no local e no processo de produção.

Segundo a gerente de projetos, Letícia Cardoso, desde o ano passado a Projet vem realizando um projeto na fábrica com o intuito de analisar a produção e identificar as falhas em todas as fases do processo. Um relatório foi elaborado, relacionando os problemas identificados e como esses itens poderiam ser melhorados. Para auxiliar a identificar os gargalos, o orientador do projeto, professor Helton Gomes, sugeriu medir o tempo de todos os processos produtivos para obterem uma análise mais concreta.

 

registrado em:
Fim do contedo da pgina