Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Acessos:
InŪcio do conteķdo da pŠgina
Últimas notícias

Professor da Escola de Minas faz palestra sobre rejeitos de lama no Museu do Amanh√£

  • Publicado: Quinta, 14 de Abril de 2016, 17h13
  • √öltima atualiza√ß√£o em Ter√ßa, 24 de Mai de 2016, 11h21

Danielle Campez com ACI

O professor do programa de Pós-graduação em Engenharia Civil da UFOP, Ricardo Fiorotti, estará nesta quinta (14) no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, para a conversa "Barragens: o que fazer com os resíduos da mineração?", às 16h30, com o também professor Marcelo Motta, da PUC-Rio.

Tendo como ponto de partida o rompimento das barragens do Fundão e Santarém, que destruiu o distrito de Bento Rodrigues e atingiu diversos municípios, a palestra discutirá o alto risco da mineração. Das 445 barragens de rejeitos existentes em Minas Gerais, mais de 30 estão sob risco de rompimento. Medidas para evitar a tragédia, uma nova destinação para os rejeitos e novas formas de estocagem estarão em pauta.

Mais informa√ß√Ķes sobre o Museu do Amanh√£ no site.

Pesquisa coordenada por Fiorotti prop√Ķe aproveitamento da lama de rejeitos

O Grupo de Pesquisas RECICLOS-CNPq, da UFOP, vem desenvolvendo nos √ļltimos anos diversos trabalhos relacionados aos rejeitos da minera√ß√£o e √† utiliza√ß√£o da lama. Essas pesquisas apontam para alternativas que poderiam contribuir para a minimiza√ß√£o dos impactos ambientais, bem como para a redu√ß√£o dos riscos potenciais das barragens de rejeitos de min√©rio de ferro.

Coordenador do projeto, Fiorotti explica que se trata basicamente de ‚Äúsoprar‚ÄĚ a lama e separar os materiais nela existentes - tanto o material bruto quanto o material processado. Esse processo possibilita a incorpora√ß√£o de at√© 80% da lama no lugar de areia na produ√ß√£o de materiais para a constru√ß√£o civil. Os novos produtos s√£o eficientes tamb√©m do ponto de vista da utiliza√ß√£o. O projeto j√° produziu concreto, argamassa, tijolos e bloco de pavimenta√ß√£o. ‚ÄúTodas essas produ√ß√Ķes s√£o id√™nticas ao convencional. A √ļnica diferen√ßa est√° na cor, que √© avermelhada‚ÄĚ, explica o professor.

registrado em:
Fim do conteķdo da pŠgina